Notícias

Organizações portuguesas assinam Call to Action Anticorrupção

 

Campanha Anticorrupção da APEE – Associação Portuguesa de Ética Empresarial e da GCNP – Global Compact Network Portugal acolhida, com sucesso, pelas organizações portuguesas.
 
Na Cerimónia de Lançamento desta iniciativa, que decorreu no passado dia 18 de setembro, no Museu do Oriente, em Lisboa, as organizações portuguesas revelaram o seu interesse e empenho em desenvolver e adotar estratégias de promoção da integridade, promovendo o desenvolvimento sustentável e a criação de uma sociedade mais justa e equilibrada.
 
 
O evento teve como intervenientes Carlos Monjardino, em representação da Fundação Oriente, Mário Parra da Silva, Chair of the Board da Global Compact Network Portugal e Anabela Vaz Ribeiro, Executive Director da rede portuguesa do UN Global Compact.
 

Guilherme d’Oliveira Martins protagonizou uma reflexão sobre o ODS 16 - Paz, Justiça e Instituições Eficazes e sublinhou a importância da temática no contexto atual. 
 
Esta Campanha surge em resposta à Call to Action Anticorrupção, lançada pelo United Nations Global Compact, que incentiva o setor privado a promover a tomada de medidas de transparência, integridade e boa governação por parte dos Governos, promovendo, assim, a adoção do seu Princípio 10, de acordo com o qual “as organizações devem combater a corrupção em todas as suas formas, incluindo extorsão e suborno”.

A corrupção é um dos maiores desafios a nível mundial e assume-se como um forte obstáculo ao desenvolvimento sustentável, tendo um impacte negativo em toda a sociedade. O seu combate é uma das prioridades da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e os seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), estando expressamente identificado no ODS 16 - Paz, Justiça e Instituições Eficazes.

Como os efeitos negativos da corrupção são visíveis em áreas tão cruciais como o ambiente, a saúde e a educação, a Campanha Portuguesa Anticorrupção pretende estender-se a toda a sociedade, estimulando o debate e a mobilização de todos, incluindo organizações com e sem fins lucrativos, academia, fundações e cidadãos em geral.
 
Para além da EDP, representada no evento por António Castro, Diretor Geral de Sustentabilidade e Risco da EDP, que apresentou boas práticas de governação da sua organização, são já signatárias da Carta o Ceiia e a Siemens.
 
 
A Cerimónia de Lançamento da Campanha Portuguesa Anticorrupção contou com a adesão à iniciativa de novas organizações:
  • ACEESA – Associação Centro de Estudos de Economia Solidária do Atlântico
  • AdP – Águas de Portugal, SGPS, SA
  • APB – Associação Portuguesa de Bancos
  • Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Baixo Vouga C.R.L.
  • EPAL – Empresa Portuguesa das Águas Livres, S.A.
  • Groquifar – Associação de Grossistas de Produtos Químicos e Farmacêuticos
  • ISCAL – Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa
  • Ordem dos Cidadãos
  • Parpública – Participações Públicas, SGPS, S.A.
  • Pikikos
  • Servimetro – Serviços de Meteorologia, S.A.
  • Tabaqueira
A Campanha irá decorrer até ao dia 9 de dezembro de 2019, declarado pela ONU como o Dia Internacional Contra a Corrupção. Até lá, as organizações portuguesas são convidadas a assinar a carta de resposta à Call to Action Anticorrupção, comprometendo-se, então, a sensibilizar o Governo para o combate à Corrupção e a promover a Integridade, a Ética e a Transparência junto dos seus stakeholders e da sociedade em geral.
 
+ info: Portal APEE
19-09-2019